INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou 35 anos de intervenção em Braga. Criou, nessa data, este blogue.
Numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

JUNHO DE 2015
O PDM aprovado na Assembleia Municipal de Braga prevê área de construção em ZEP do Monumento Nacional.
Novamente um futuro incerto para o Complexo das Sete Fontes?!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

ENTRE ASPAS - "Ter uma horta em casa é fácil e traz muitos benefícios"

Isabel Mourão e Miguel Maria Brito apresentam-nos sugestões para a construção de uma horta em casa.  
Para quem cresceu no campo, habita hoje em dia na cidade, e quer criar oportunidades de ligação à terra aos seus filhos ou netos, as hortas verticais, em tabuleiros ou em vasos, são uma oportunidade para acompanhar o ciclo de vida das plantas e ter, bem perto, plantas indispensáveis à gastronomia minhota.
Um desafio a concretizar na Primavera que se aproxima...
Diário do Minho - 8 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

CODEP - 40 anos. Um movimento de cidadãos que deu origem à ASPA.

Faz hoje (3 de fevereiro) 40 anos que um grupo de 7 cidadãos bracarenses se reuniu para constituir a COMISSÃO DE DEFESA E ESTUDO DO PATRIMÓNIO (CODEP), "Com  intenção imediata de colaborar em ações que visem salvar os últimos vestígios da Cidade Romana de Braga, ameaçados de desaparecimento total", conforme se afirmava no documento divulgado através da imprensa escrita em 11 de fevereiro de 1976. 
A CODEP esteve na origem da ASPA, fundada um ano depois.
Comunicado da CODEP 
Os 7 cidadãos:
ALVARO CAMEIRA, arquitecto urbanista, Gab. Assessoria e Planeamento, UMinho.

EDUARDO PIRES DE OLIVEIRA, func. Caixas Previdência Braga.

EGÍDIO XAVIER GUIMARÃES, arquivista, técnico do Serviço de Documentação, UMinho.

HENRIQUE BARRETO NUNES, bibliotecário, técnico do Serviço de Documentação, UMinho.

JOÃO RIGAUD DE SOUSA, conservador Museu D. Diogo de Sousa, técnico do Instituto Vinho do Porto.

MANUEL ARTUR NORTON, director do  Serviço de Documentação, UMinho.

MANUEL MENDES ATANÁZIO, professor de História de Arte, UMinho.

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

ARQUITETURA POPULAR: Colóquio Internacional

De 30 de março a 2 de abril decorre, em Monção, o Colóquio Internacional de Arquitetura Popular. As inscrições estão a decorrer até 31 de janeiro. 
"A arquitetura e as estruturas de povoamento de origem popular são dos mais ricos elementos do património cultural de uma sociedade, que importa conhecer, estudar e preservar. Muitas destas estruturas construídas de raiz popular encontram-se contudo numa situação de abandono ou de acelerada decadência, que importa reverter".
Mais informação...


segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

ENTRE ASPAS - "Conta-nos e Conta Connosco"

Diário do Minho -25 jan 2015
A ideia de que a vivência individual dos homens e mulheres dos diversos estratos sociais e condições, com as diferentes histórias que têm para contar - independentemente de serem pequenas ou grandes vozes - contribui para um conhecimento mais fiel e completo da História, das memória coletivas e da nossa identidade comum, está na base da Associação Arquivo dos Diários.

Concurso “Conta-nos e conta connosco”
O regulamento e os requisitos de submissão ao concurso, bem como o formulário (obrigatório) para participação, encontram-se no Website: www.arquivodosdiarios.pt


Para concorrer, qualquer um pode enviar material autobiográfico que tenha sido guardado no armário, na gaveta, no baú, até 1 de março de 2016: podem ser textos, cartas, diários, acompanhados ou não de fotos e imagens relacionadas com os acontecimentos narrados. 
Os materiais (em suporte digital ou cópia) devem ser submetidos pessoalmente ou por correio registado na sede do arquivo: Biblioteca Municipal e São Lázaro - Rua do saco, e, 1169-107 Lisboa. 
A melhor história apresentada, centrada em fatos vividos ou experienciados pelo autor, terá como prémio a publicação. O Arquivo poderá inda distinguir obras que considere de particular interesse histórico e organizar uma exposição com as restantes obras submetidas.
Para saber mais:
Salvar  a nossa história do esquecimento é uma missão que a todos diz respeito. Participe!

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

ENTRE ASPAS - "Cinema S. Geraldo - triste abandonado"

Sem um programa cultural fundamentado, sem os equipamentos culturais adequados à produção e à programação e difusão cultural em geral e da criação artística em particular e sem os criadores e artistas, não é possível implementar uma política cultural sustentável à escala da cidade. Sem a conjugação destes fatores estruturantes, a vida artística e cultural fica altamente diminuída.  


Braga precisa de espaços que permitam aos agentes culturais locais incorporar-se na dinâmica da cidade, criando a inovação que se faz já tardia.

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

ENTRE ASPAS - 2015

                   1º Entre Aspas de 2015
Último Entre Aspas de 2015

A coluna Entre Aspas, do Diário do Minho, é um espaço de divulgação e reflexão centrada no património. Um espaço onde a ASPA (Associação para o Estudo, Defesa e Divulgação do Património Cultural e Natural) partilha, com os seus leitores, informação e preocupações relativas ao património. Esta colaboração permitiu, durante décadas, alertar a opinião pública e as instituições para o risco em que se encontravam recursos valiosos herdados do passado: Bracara Augusta, Mosteiro de Tibães, Complexo das Sete Fontes, Recolhimento das Convertidas,  espaço público, etc.
Partimos do princípio que só será capaz de defender e proteger o património quem o conhece, reconhece o seu valor e o considera parte da nossa história e memória comum.

Em 2015 foram várias as problemáticas tratadas:

APRENDER HISTÓRIA DESCOBRINDO A CIDADE

PATRIMÓNIO EM RISCO

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

CONVERSAS SOBRE IMAGENS DE BRAGA

A próxima sessão de "Conversas sobre Imagens de Braga" realiza-se na próxima quinta-feira (7 janeiro), às 18:00h, no Museu Nogueira da Silva. Terá como tema o Sameiro.
Será a 31ª sessão das Conversas, iniciadas a 6 de dezembro de 2012 como resultado de uma parceria entre a ASPA e o Museu Nogueira da Silva. São dinamizadas por Eduardo Pires de Oliveira e António José Mendes.

sábado, 2 de janeiro de 2016

BOAS NOTÍCIAS: Património finalmente reconhecido...

O Património começa a ser reconhecido um pouco por todo o país:
  • Braga aguarda a valorização do Complexo das Sete Fontes e de monumentos de Bracara Augusta (Teatro Romano e Ínsula das Carvalheiras, entre outros).
  • Caldas da Rainha assume compromissos no sentido da valorização do hospital termal fundado há 530 anos, pela Rainha D. Leonor.
  • Os socalcos de Sistelo, nos Arcos de Valdevez, aguardam a classificação como paisagem cultural.
Para além da salvaguarda da História e identidade de cada concelho é de assinalar o interesse turístico destes investimentos. 
Ampliar
Ampliar


segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

ENTRE ASPAS - " MINIMIZAR AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS: do Global ao Local"

As alterações climáticas, que inicialmente preocuparam somente os investigadores, são actualmente o centro da atenção de líderes mundiais pois têm implicações graves na economia, na qualidade de vida da população e, em caso extremo, colocam em risco a sobrevivência de muitas espécies. 
Cimeira do Clima (COP 21) a nível global e o projeto ClimAdpaPT a nível local  dão sinais de mudança para melhor em várias vertentes (ambiental, social e económica) e setores de atividade (energia e indústria, biodiversidade, agricultura e florestas, segurança de pessoas e bens, ordenamento do território, recursos hídricos, saúde humana, turismo e zonas costeiras). 
Será suficiente o acordo estabelecido na Cimeira do Clima? 
Diário do Minho - 28 de dezembro de 2015
Em Braga realizou-se a 1 de dezembro o workshop  ClimAdpaPT.Local, no qual a ASPA participou. Incluiu a auscultação dos participantes (representantes da autarquia, instituições públicas e organizações da sociedade civil) em Mesas Temáticas centradas no debate, troca de ideias e contributos para  a Estratégia de Adaptação às Alterações Climáticas de Braga.

Foi lançado um novo paradigma de desenvolvimento global e local, absolutamente contrário ao que se fez em Braga nas últimas décadas.
Perante este novo paradigma, alguém se lembraria de investir num novo parque de estacionamento, de grandes dimensões, no Centro Histórico de Braga?