INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou os 35 anos de intervenção em Braga e, numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

ENTRE ASPAS - "Participação em processos de consulta pública: direito à informação e à expressão"

A necessidade de informação como condição para a participação pública é óbvia: para alguém se poder pronunciar sobre um plano ou projeto precisa de o conhecer e precisa também de saber como se pode expressar sobre ele. O acesso à informação é um dos três pilares da Convenção das Nações Unidas sobre o Acesso à Informação, Participação Pública no Processo de Tomada de Decisão e Acesso à Justiça em Matéria de Ambiente, subscrita e ratificada por Portugal.
Diário do Minho - 22 setembro 2014
.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ENTRE ASPAS - "As Lojas Históricas são Património!"

Em Braga sobrevivem lojas antigas que acompanharam várias gerações de bracarenses e podem, ainda, ter um papel de destaque no futuro da cidade que as viu nascer.
Diário do Minho - 8 set. 2014

Descubra as lojas... através das fotos de Ana Barros:






segunda-feira, 25 de agosto de 2014

ENTRE ASPAS - "Ir a banhos no Minho" (2) e (3)

Não era nada fácil ir a banhos no final do séc. XIX e início do séc. XX! 
Manuela Barreto Nunes recorda vivências dessas épocas nos textos publicados na coluna Entre Aspas, no Diário do Minho, sendo o primeiro de 14 de julho.

Os banhos eram tomados cedo, pelas oito horas da manhã, antes da refeição a que hoje chamamos pequeno-almoço...

Diário do Minho - 25 agosto
O hábito de frequentar as praias já bem entrado o Outono permanece ainda durante, pelo menos, os primeiros trinta anos do século XX...
Diário do Minho - 25 agosto 2014

domingo, 17 de agosto de 2014

"Augusto, Imperador de Roma e fundador de Bracara Augusta"

Um texto que nos conduz a Bracara Augusta e que será, com certeza, um recurso didático importante. 
Diário do Minho - 15 agosto 2014

terça-feira, 12 de agosto de 2014

ENTRE ASPAS - "O último inverno: o regresso ao futuro da zona costeira?(2)"

A ZONA COSTEIRA É PATRIMÓNIO NATURAL!
Para nos ajudar a perceber a origem dos fenómenos que observámos no litoral norte, no último inverno, pedimos a colaboração de Renato Henriques, Professor Auxiliar no Departamento de Ciências da Terra da Universidade do Minho, Geólogo, especialista em Dinâmica Costeira. 
No texto anterior levou-nos ao passado para facilitar a compreensão do presente. Hoje, centra a reflexão no presente deixando um apelo para que sejam tomadas opções que conduzam, no futuro, à sustentabilidade da zona costeira.

domingo, 3 de agosto de 2014

TERMAS ROMANAS - melhoramentos na delimitação

As Termas Romanas (anexas ao Teatro Romano) serão agora delimitadas com muros, e cerca de madeira, estruturas definitivas que retiram o carácter provisório à proteção desta área há anos valorizada. Estes melhoramentos são, sem dúvida, uma boa notícia para Braga!
Mas não podemos esquecer outros recursos de Bracara Augustaque teriam grande importância a nível turísticoque têm sido esquecidos ao longo de anos, tal como:
  • o Teatro Romano (o único equipamento do género descoberto no Noroeste da Península Ibérica);
  • a Domus das Carvalheiras;
  • as ruínas da casa nº 20 a 26 da Rua de Santo António das Travessas;
  • o sítio de Santa Marta das Cortiças.  
Será 2014 o ano em que a CMB apresenta candidaturas ao novo QREN para salvaguarda e valorização destes recursos herdados de Bracara Augusta?
Esperamos que sim.

Diário do Minho - 3 ago. 2014

terça-feira, 29 de julho de 2014

COMPLEXO DAS SETE FONTES - finalmente a unanimidade!

O fim da variante à EN 103, nas Sete Fontes, é uma reivindicação antiga dos defensores do Monumento Nacional. Uma reivindicação que os vereadores do PS reconhecem agora como justa. Finalmente!
É uma decisão indispensável à salvaguarda do Complexo das Sete Fontes, que deverá integrar o Plano de Pormenor e Salvaguarda (finalmente de acordo com a Lei do Património) e o novo Plano Diretor Municipal, que agora entra em fase de consulta pública.

Diário do Minho - 29 de julho de 2014


Diário do Minho - 26 julho 2014


segunda-feira, 28 de julho de 2014

ENTRE ASPAS - "O último inverno: o regresso ao futuro da zona costeira?(1)"


A ZONA COSTEIRA É PATRIMÓNIO NATURAL!
Para nos ajudar a perceber a origem dos fenómenos que observámos no último inverno, na zona costeira portuguesa, pedimos a colaboração de Renato Henriques, Geólogo, especialista em Dinâmica Costeira, Professor no Departamento de Ciências da Terra da Universidade do Minho. 
Desta vez leva-nos ao passado para nos ajudar a compreender o presente.

Diário do Minho - 28 de julho 2014

domingo, 27 de julho de 2014

DECISÕES INDISPENSÁVEIS À DEFESA DO PATRIMÓNIO BRACARENSE


Duas boas notícias no dia 26 de julho:
  • A anulação do traçado da variante à EN 103 que, por decisão do anterior executivo municipal, iria atravessar o Complexo das Sete Fontes; 
  • A classificação da Casa da Torre, na Rua D. Paio Mendes, como imóvel de interesse municipal. 
A anulação do traçado da variante à EN 103 foi reivindicada pela  ASPA e pelos Peticionários no âmbito da participação pública nos Termos de Referência do Plano de Pormenor de Sete Fontes.
    Quanto à Casa da Torre, alertámos para o avançado estado de degradação do imóvel através da coluna Entre Aspas, no Diário do Minho: “Que faremos com esta casa?”.
         
    O início do período da discussão pública do PDM e a divulgação das “peças processuais” através do site da CMB é mais uma boa notícia para Braga.
    Diário do Minho - 26 julho 2014


    quarta-feira, 16 de julho de 2014

    O "MOSTEIRO DE TIBÃIS" - é Património Nacional desde 1944!

    A propósito da notícia publicada no Correio do Minho do passado dia 13 de julho, pág. 8, cumpre-nos chamar a atenção para a informação disponível no website da Direção-Geral do Património Cultural relativa ao Mosteiro de Tibães:
    • "Igreja e mosteiro de Tibãis, fontes e construções arquitectónicas da respectiva quinta, situados na freguesia de Mire de Tibãis, Braga" têm, desde 1944, o estatuto de Imóvel de Interesse Público (atualmente monumento de interesse público); 
    • Em 1949 foi publicada uma zona especial de proteção, revista e melhorada em 1994;
    • Em 1987 passou a Património do Estado/ Nacional;
    • Em 2013 a DRCNorte apresentou Proposta de reclassificação como MN, com a designação de "Mosteiro de Tibães".

    Lamentamos o lapso. O estatuto de Monumento Nacional é mais do que merecido, pelo que consideramos importantes as iniciativas que tenham em vista a reclassificação do Mosteiro de Tibães.

    Caso persista alguma dúvida sobre o valor patrimonial do Mosteiro de Tibães, poderá ser ainda consultada  a informação disponível no SIPA - Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. E também o texto "Felizmente há luar!"

    Correio do Minho - 13 julho 2014