INTERVENÇÃO CÍVICA EM DEFESA DO PATRIMÓNIO

Em 2012 a ASPA comemorou os 35 anos de intervenção em Braga e, numa cidade em que as intervenções livres dos cidadãos foram, durante anos, ignoradas, hostilizadas ou mesmo reprimidas, a ASPA, contra ventos e marés, sempre demonstrou, no terreno, que é verdadeiramente uma instituição de utilidade pública.
Numa época em que poucos perseguem utopias, não queremos descrer da presente e desistir do futuro, porque acreditamos que a cidade ideal, "sem muros nem ameias", ainda é possível.
DEZEMBRO DE 2013
O novo executivo municipal suspende o PDM na área da ZEP das Sete Fontes.
Foi dado o 1º passo e há, finalmente, a esperança para o Monumento Nacional.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

ENTRE ASPAS - "As Lojas Históricas são Património!"

Em Braga sobrevivem lojas antigas que acompanharam várias gerações de bracarenses e podem, ainda, ter um papel de destaque no futuro da cidade que as viu nascer.

Diário do Minho - 8 set. 2014

Descubra as lojas... através das fotos de Ana Barros:






segunda-feira, 25 de agosto de 2014

ENTRE ASPAS - "Ir a banhos no Minho" (2) e (3)

Não era nada fácil ir a banhos no final do séc. XIX e início do séc. XX! 
Manuela Barreto Nunes recorda vivências dessas épocas nos textos publicados na coluna Entre Aspas, no Diário do Minho, sendo o primeiro de 14 de julho.

Os banhos eram tomados cedo, pelas oito horas da manhã, antes da refeição a que hoje chamamos pequeno-almoço...

Diário do Minho - 25 agosto
O hábito de frequentar as praias já bem entrado o Outono permanece ainda durante, pelo menos, os primeiros trinta anos do século XX...
Diário do Minho - 25 agosto 2014

domingo, 17 de agosto de 2014

"Augusto, Imperador de Roma e fundador de Bracara Augusta"

Um texto que nos conduz a Bracara Augusta e que será, com certeza, um recurso didático importante. 
Diário do Minho - 15 agosto 2014

terça-feira, 12 de agosto de 2014

ENTRE ASPAS - "O último inverno: o regresso ao futuro da zona costeira?(2)"

A ZONA COSTEIRA É PATRIMÓNIO NATURAL!
Para nos ajudar a perceber a origem dos fenómenos que observámos no litoral norte, no último inverno, pedimos a colaboração de Renato Henriques, Professor Auxiliar no Departamento de Ciências da Terra da Universidade do Minho, Geólogo, especialista em Dinâmica Costeira. 
No texto anterior levou-nos ao passado para facilitar a compreensão do presente. Hoje, centra a reflexão no presente deixando um apelo para que sejam tomadas opções que conduzam, no futuro, à sustentabilidade da zona costeira.

domingo, 3 de agosto de 2014

TERMAS ROMANAS - melhoramentos na delimitação

As Termas Romanas (anexas ao Teatro Romano) serão agora delimitadas com muros, e cerca de madeira, estruturas definitivas que retiram o carácter provisório à proteção desta área há anos valorizada. Estes melhoramentos são, sem dúvida, uma boa notícia para Braga!
Mas não podemos esquecer outros recursos de Bracara Augustaque teriam grande importância a nível turísticoque têm sido esquecidos ao longo de anos, tal como:
  • o Teatro Romano (o único equipamento do género descoberto no Noroeste da Península Ibérica);
  • a Domus das Carvalheiras;
  • as ruínas da casa nº 20 a 26 da Rua de Santo António das Travessas;
  • o sítio de Santa Marta das Cortiças.  
Será 2014 o ano em que a CMB apresenta candidaturas ao novo QREN para salvaguarda e valorização destes recursos herdados de Bracara Augusta?
Esperamos que sim.

Diário do Minho - 3 ago. 2014

terça-feira, 29 de julho de 2014

COMPLEXO DAS SETE FONTES - finalmente a unanimidade!

O fim da variante à EN 103, nas Sete Fontes, é uma reivindicação antiga dos defensores do Monumento Nacional. Uma reivindicação que os vereadores do PS reconhecem agora como justa. Finalmente!
É uma decisão indispensável à salvaguarda do Complexo das Sete Fontes, que deverá integrar o Plano de Pormenor e Salvaguarda (finalmente de acordo com a Lei do Património) e o novo Plano Diretor Municipal, que agora entra em fase de consulta pública.

Diário do Minho - 29 de julho de 2014


Diário do Minho - 26 julho 2014


segunda-feira, 28 de julho de 2014

ENTRE ASPAS - "O último inverno: o regresso ao futuro da zona costeira?(1)"


A ZONA COSTEIRA É PATRIMÓNIO NATURAL!
Para nos ajudar a perceber a origem dos fenómenos que observámos no último inverno, na zona costeira portuguesa, pedimos a colaboração de Renato Henriques, Geólogo, especialista em Dinâmica Costeira, Professor no Departamento de Ciências da Terra da Universidade do Minho. 
Desta vez leva-nos ao passado para nos ajudar a compreender o presente.

Diário do Minho - 28 de julho 2014

domingo, 27 de julho de 2014

DECISÕES INDISPENSÁVEIS À DEFESA DO PATRIMÓNIO BRACARENSE


Duas boas notícias no dia 26 de julho:
  • A anulação do traçado da variante à EN 103 que, por decisão do anterior executivo municipal, iria atravessar o Complexo das Sete Fontes; 
  • A classificação da Casa da Torre, na Rua D. Paio Mendes, como imóvel de interesse municipal. 
A anulação do traçado da variante à EN 103 foi reivindicada pela  ASPA e pelos Peticionários no âmbito da participação pública nos Termos de Referência do Plano de Pormenor de Sete Fontes.
    Quanto à Casa da Torre, alertámos para o avançado estado de degradação do imóvel através da coluna Entre Aspas, no Diário do Minho: “Que faremos com esta casa?”.
         
    O início do período da discussão pública do PDM e a divulgação das “peças processuais” através do site da CMB é mais uma boa notícia para Braga.
    Diário do Minho - 26 julho 2014


    quarta-feira, 16 de julho de 2014

    O "MOSTEIRO DE TIBÃIS" - é Património Nacional desde 1944!

    A propósito da notícia publicada no Correio do Minho do passado dia 13 de julho, pág. 8, cumpre-nos chamar a atenção para a informação disponível no website da Direção-Geral do Património Cultural relativa ao Mosteiro de Tibães:
    • "Igreja e mosteiro de Tibãis, fontes e construções arquitectónicas da respectiva quinta, situados na freguesia de Mire de Tibãis, Braga" têm, desde 1944, o estatuto de Imóvel de Interesse Público (atualmente monumento de interesse público); 
    • Em 1949 foi publicada uma zona especial de proteção, revista e melhorada em 1994;
    • Em 1987 passou a Património do Estado/ Nacional;
    • Em 2013 a DRCNorte apresentou Proposta de reclassificação como MN, com a designação de "Mosteiro de Tibães".

    Lamentamos o lapso. O estatuto de Monumento Nacional é mais do que merecido, pelo que consideramos importantes as iniciativas que tenham em vista a reclassificação do Mosteiro de Tibães.

    Caso persista alguma dúvida sobre o valor patrimonial do Mosteiro de Tibães, poderá ser ainda consultada  a informação disponível no SIPA - Sistema de Informação para o Património Arquitectónico. E também o texto "Felizmente há luar!"

    Correio do Minho - 13 julho 2014

    segunda-feira, 14 de julho de 2014

    SETE FONTES - uma nova etapa na História do Monumento.

    Nos últimos três anos mantivemos um contador de dias de abandono do Complexo das Sete Fontes, quer neste blogue quer nos textos publicados na coluna Entre Aspas, no Diário do Minho. 
    As obras de conservação iniciaram, razão pela qual retirámos esse contador.
    Consideramos essencial que os cidadãos possam acompanhar, com conhecimento acrescido, as estratégias de intervenção no Complexo das Sete Fontes, tanto mais que a defesa do Monumento Nacional se deve a uma vitória da cidadania. 
    Por isso mesmo se torna importante que:
    • a Câmara Municipal de Braga disponibilize, através do respetivo website, o projeto das obras de conservação;
    • a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho divulgue os relatórios dos estudos arqueológicos e de análise cronológica das estruturas já realizados e cujo resumo consta do website da DGPC.